O planeta e o aquecimento global…esse mito urbano…

Imagine-se uma praia, um extenso areal, 30º de temperatura, sol, água quente, bar junto à água e bebidas frescas…se esta é a imagem que vos ocorre (ou outra semelhante que envolve calor e verão o ano inteiro) quando se fala em aquecimento global então tenho más noticias…são tão ou mais ignorantes que o presidente recém-eleito dos Estados Unidos da América! Sim, o Trump também é dos que defendem que estando frio é sinal de ausência de aquecimento global…no comments…

Adiante…assuntos como planeta, ambiente ou aquecimento global são temas pouco interessantes e com muita frequência me deparo com leviandade, indiferença ou até como se se tratasse de algo que acontece em local distante e que pouco nos importa, sempre que algum deles surge em conversa (das poucas vezes que surgem). O ambiente é para o Bambi e para os maricas!!

Infelizmente esta é a verdade sobre o interesse da sociedade em manter este planeta sustentável mas também é igualmente verdade que o planeta onde vivemos (e até à data, o único onde o podemos fazer) caminha a passos largos, não direi para a destruição que parece dantesco, mas pelo menos para um ponto irreversível da sua sustentabilidade. E isso deveria preocupar-nos a todos, constantemente e em cada gesto ou atitude do nosso dia-a-dia! Certo é que, para muitos, num futuro distante alguém se referir à nossa geração como a geração que causou danos irreversíveis ao planeta pouco lhe afeta…primeiro porque já nem estará por cá e segundo, para quem cá estiver, que se desenrasque para sobreviver!! E assim vamos nós enquanto sociedade que se preocupa com o seu semelhante (e não, aqui o semelhante não é o gajo mais parecido connosco!!).

Pessoalmente, não sei se por ter crescido em constate contacto com a natureza ou apenas por “vocação”, sempre me identifiquei com a natureza e tudo o que ela é e representa – o ar puro, os rios, os oceanos, as montanhas, os seres vivos, os habitats, os eco-sistemas e até os fenómenos, muitas vezes devastadores para nós…e sempre tive e continuo a ter grande preocupação pela sustentabilidade dessa natureza (ou do planeta em geral). Preocupam-me as grandes industrias que destroem desmesuradamente e sem regras vastas áreas do planeta, seja para criar plantações agrícolas, abate de árvores, extracção de minérios ou simplesmente para o betão avançar desenfreadamente face ao natural que tem vindo a perder força ano após ano, década após década até ao ponto onde nos encontramos hoje, um ponto em que alguma dessa destruição é já irreversível!

Mas o problema não são só as industrias…somos todos nós, desenfreados consumidores e principalmente esbanjadores de recursos! São muitos os gestos, acções ou atitudes que praticamos diariamente e com frequência que afectam o ambiente e contribuem para que cada vez mais recursos não renováveis sejam consumidos, a poluição aumente e todo o planeta pague a factura…da electricidade que consumimos sem qualquer preocupação de poupança (a não ser quando nos toca na carteira), a água que corre nas torneiras sem regras, o uso de veículos poluentes para nos deslocarmos, nem que seja ao super mercado do outro lado da rua (porque os sacos pesam e coiso e tal), os consumíveis “descartáveis” que dão um jeitão (para não se ter trabalho e a preguiça mais uma vez vencer), todo o consumismo desenfreado que patrocinamos com vestuário em excesso, gadgets desnecessários e bugigangas que nem sabemos como nos vieram parar às mãos…e poderíamos aqui fazer uma infindável lista de tudo o que fazemos e tem um impacto negativo. E pior ainda, as coisas que não fazemos para reduzir esse impacto!

É urgente mudarmos a nossa postura, ser menos egoístas e invejosos, querer menos e fazer mais, pensar menos no prazer de consumir e mais no impacto negativo que causamos! Toda esta preocupação e necessidade de sensibilizarmos primeiro a nós próprios e depois aos que nos rodeiam, seja pelo bom senso, seja no futuro com mais taxas e impostos sobre o nosso impacto no ambiente (não se espantem se a nossa pegada ecológica começar a ser um indicador percentual para uma eventual taxa a pagarmos!) levam-me a partilhar dois documentários que vi e que considero importantes para qualquer pessoa ver, mais que não seja para se inteirar da realidade que vivemos, do que se passa para além da nossa vila, país ou continente e para criar alguma consciência ambiental e indirectamente uma melhoria até para a saúde de cada um!

“Cowspiracy”, um documentário interessante que mostra como hábitos alimentares, algo que à primeira vista consideraríamos inofensivo, pode ter um impacto tão devastador no ambiente e no planeta em geral. Não pretendo que mudem os hábitos alimentares, isso cabe a cada um viver com as suas escolhas e opções, apenas que tenham a consciência do impacto que têm essas opções.

“Before the Flood”, um recente documentário, produzido por Leonardo Di Caprio numa interessante “volta ao mundo”, documentando e dando a conhecer crimes ambientais e actividades legais mas com igual ou maior impacto negativo para o planeta. Uma visão interessante sobre o tema do aquecimento global.

E para os ignorantes que acham que aquecimento global significa simplesmente termos mais calor e menos frio durante o ano, basta uma pequena pesquisa e alguns minutos de leitura para se perceber que alguns dos impactos do aquecimento global é o arrefecimento de certas zonas do planeta…e a Europa é uma dessas zonas!

Para terminar e não aborrecer mais aqueles que levaram a sua leitura até aqui, aos quais agradeço a atenção, fica a chamada de atenção para a necessidade de mudarmos comportamentos, sermos mais eficientes no uso de recursos, pensar a cada gesto se o podemos fazer de forma a poupar o ambiente, se aquele saco de plástico é mesmo necessário, se temos mesmo de usar o carro para aquela pequena ida à rua, se temos mesmo de ter aquelas luzes bonitas e que ficam bem (mas não têm qualquer utilidade prática) acesas a tempo inteiro, se a água tem de ficar a correr enquanto escovamos os dentes ou colocamos shampoo…pequenos gestos podem parecer insignificantes mas se todos os praticarmos farão uma enorme diferença e só caminharemos para o mundo ideal que no fundo todos queremos viver…um mundo limpo, saudável e onde possamos estar sem nos preocupar com a qualidade do ar, da água ou outros factores que em muitas cidades ou países já são uma constante preocupação à saúde publica!

O ambiente agradece, o planeta agradece, nós e os nossos descendentes viveremos melhor! 😉

Comentários