ATENÇÃO: Radar!

Face às recentes notícias e acções levadas a cabo por quem nos governa e dita as regras, trago hoje um tema que sempre me fez alguma confusão…nomeadamente, policia, radares, operações stop e infracções…

Nem é a carta ou os pontos que me inquietam o espírito ao ponto de por aqui divagar sobre o assunto. O que realmente me inquieta é efectivamente o modus operandi das forças da autoridade no que toca à fiscalização do cumprimento do código da estrada, mais concretamente, no controlo de velocidade (aka radares)!

Regularmente existem nas estradas, operações de controlo de velocidade, sejam através de radares estáticos ou móveis, operações essas anunciadas previamente aos automobilistas ou identificadas pela devida sinalética. Pergunto eu, na minha ignorância, qual o objectivo de estarmos a avisar alguém de que estamos a efectuar uma verificação do cumprimento das regras?!

Começando pelo inicio, todos (espero eu!!) os que circulam na estrada foram obrigados a frequentar uma instrução (vulgo aulas de código e condução) para tomar conhecimento das regras para se circular nas estradas públicas bem como adquirir aptidão para conduzir determinados tipos de veículos. Deixemos a aptidão para conduzir para outras núpcias e foquemos na componente do código. Este não é mais que aprendermos as regras para circularmos e partilharmos o mesmo espaço (a estrada) com outros automobilistas. Além de tomarmos conhecimento dessas ditas regras, somos submetidos a um teste final no qual é exigida nota positiva. Daqui depreendo que, quem passa no código sabe as regras do código da estrada e como todos somos obrigados a passar por esta fase, é justo dizer que todos os automobilistas têm conhecimento dessas regras!

Como em todo o sistema que funciona por regras e porque o ser humano (nalgumas culturas mais que outras) tende a desrespeitar as regras, criou-se a autoridade para fiscalizar e garantir o cumprimento dessas regras. No entanto, esse controlo e fiscalização é feito dando a conhecer onde e quando serão realizadas essas operações! E isto entra em contrassenso com o que deveria ser um verdadeiro controlo do cumprimento das regras! No fundo o que se faz é algo equivalente a, antes de um teste ou exame, o professor disponibilizar aos alunos as respostas às perguntas…desta forma, dificilmente alguém chumba! Nas operações de controlo de velocidade nas estradas, no fundo só cai quem das duas uma, ou é muito distraído (e a estrada não é propriamente o melhor local ou momento para distracções) ou muito estúpido! Afinal é avisado com antecedência do que tem pela frente!

Por outro lado, fiscalizar com este pré-aviso é uma fiscalização ineficiente e arrisco-me a dizer inútil…se o objectivo é fazer os automobilistas cumprirem as regras, esta fiscalização funciona…na meia dúzia de quilómetros junto aos radares! E nas outras centenas ou milhares de quilómetros de estradas? Se o objectivo é ter uma fonte de receita oriunda das contra-ordenações por incumprimento voluntário das regras por parte dos automobilistas, então também não me parece que este processo tenha os resultados desejados!

Abrindo a possibilidade de meio mundo me chamar nomes, a fiscalização do cumprimento do código da estrada deveria ser de todo espontâneas e sem pré-aviso! As regras (código da estrada) são conhecidas, todas as pessoas as conhecem e portanto só as infringe quem o pretende propositadamente fazer e quem o faz deve pagar por isso! E mais do que pagar por infringir regras, deve pagar pelo facto de poder eventualmente colocar a vida de terceiros em perigo! Se há coisa que muita gente não percebe nesta questão da estrada é que, quer queiramos quer não, temos de partilhar, de forma civilizada e cumprindo regras, o mesmo espaço com outros!

Numa perspectiva económica (ainda que não concorde em olhar para este tema como tal), se o cumprimento das regras para o bem-estar comum não serve de motivação, alguns poderão lembrar-se que, se mais pessoas forem apanhadas a infringir as regras, mais pagam (para os cofres do estado) e eventualmente pode ser que os impostos que cada um de nós paga, diminuam ou não tenham constantemente de subir, dado haver uma fonte de receita rentável para o estado (continuo a preferir que esta não fosse fonte de receita e as regras fossem cumpridas!).

Para terminar, para aqueles que acham que isto é tudo uma grande chulagem e uma forma de nos “roubar” o dinheiro que nos custa a ganhar…todos conhecemos as regras, elas aplicam-se a todos e é uma opção não as cumprir e consequentemente pagar a devida coima! (E perder uns quantos pontos na carta!)

Para os que ainda que me tenham insultado, continuaram a ler o post até aqui, deixo-vos a lista dos novos radares instalados país e que à data de hoje já deverão estar em funcionamento! Quem é amigo, quem é?!

Não percam o próximo episódio: Pessoas que protestam e indignam-se contra as multas da EMEL depois de estacionarem em locais de estacionamento pago e não efectuarem o devido pagamento!

Keep calm, drive safe!  😉

Disclaimer: nenhuma regra do código da estrada foi infringida para a produção deste post!

Comentários