Depois de falhar os convites para o 1º dia do Lisboa Moto Show (LMS) e de irmos vendo dezenas de fotos nas redes sociais do que pela FIL se passava, no passado sábado lá conseguimos finalmente ir “matar” a curiosidade.

Para além do fim-de-semana ser convidativo, a verdade é que havia mais argumentos para nos fazer deslocar à Expo nesse dia e um deles era a mostra do CNTT organizado pela FMP. Uma dezena de UTV’s, motos e quads em plena Expo entre o MEO Arena e o Pavilhão de Portugal a demonstrar que temos sem sombra de dúvida um dos parques mais bonitos e “apetrechados” da Europa. Para alguns de nós que tiveram ligação directa muitos anos com o TT foi uma oportunidade de rever caras conhecidas e mostrar o nosso apreço e apoio a esta modalidade.

 Pedro Machado | PAMOTO

 Nuno “Mocho” Passos

Passagem pela Nauticampo…mas barcos não é muito a nossa onda (nem o nosso budget) portanto, seguimos caminho!

Entre as exposições presentes na FIL, havia também uma feira de Viagens e um Festival do Hamburguer, ambos com entradas livres, no entanto o nosso objectivo era efectivamente a Lisboa Moto Show.

Uma vez dentro dos pavilhões 2 e 3, eis que os nossos olhos procuram o que neste momento acaba por estar de certa forma em foco, as Cafe Racers, Boppers, Scramblers, Brats e estilos similares. Fossem novidade, ou já com provas dadas eram essas que queríamos mesmo por o rabo em cima e sentir a primeira impressão (em algumas marcas havia forma de se inscrever e agendar um test drive…não tivemos oportunidade para isso!). Com novidades na Yamaha e Ducati, a verdade é que o que nos ficou na retina e nos encheu as medidas foram mesmo a Triumph, BMW e Moto Guzzi!

Triumph, a confirmação de um estilo muito próprio, muitos modelos em diversas versões e níveis de equipamento, tudo muito ao estilo britânico, não há como não gostar!!!

A BMW, (vai parecer cliché) mas a T-Nine Scrambler deve ter sido das motos mais fotografadas do LMS!!! Mais uma vez, varias versões e níveis de equipamento, fazendo qualquer motard sonhar ter um destes exemplares na garagem.

Moto Guzzi, a surpresa! Se vê-las nas publicações já ficavam na retina, vê-las ao vivo, sentar e sentir a primeira impressão, deixou mesmo vontade de as testar…quem sabe um dia?! 

Mas nem tudo girava sobre as duas rodas, havia tuning auto, 4×4, acessórios e até barbeiro!!! Exacto, podia-se cortar o cabelo e aparar a barba em plena exposição.

Em jeito de conclusão, uma exposição que, a par dos projectos que temos neste momento em mãos com o restauro das duas BMW K100, nos deixou algumas directivas, ideias e noção de pormenores a ter em conta e colocar em prática! Um salão que ainda mexe com muito público apesar da exposição, aparte das grandes marcas ficar um pouco aquém, pois esperava-se um pouco mais de representação, tanto ao nivel de lojas como de preparadores e demais entidades ligadas ao mundo do motociclismo.

Fica a nossa galeria da Lisboa Moto Show para mais tarde recordar e para nos servir de inspiração e motivação ao trabalho que ainda temos pela frente!

Para último, a nossa nota 10 para o stand da REV e do Lisbon Motorcycle Film Fest que estava deveras bem decorado com algumas motos, verdadeiras obras de arte na transformação, que para além das motos “novas”, provam que a recuperação e transformação está em força e recomenda-se.

 

Marcos Leal | REV

Fomos só nós, ou mais alguém deu por falta da KTM e da Nexx???

Written by the B blog
.