No final de Agosto, data da ultima crónica, prometi revelar o “estrago” das festas de Arruda. Pois bem, praticamente uma semana de abusos, embora controlados, fez com que a balança subisse 1,5 kgs. Mesmo que tenhamos muito foco no objectivo, por vezes é um bocado difícil não cometer alguns “pecados”.

De volta ao Fitness Factory (FF), era hora de “correr” atrás do prejuízo com a ajuda do Dr. Guilherme, sempre incansável nas consultas no sentido do aconselhamento e orientação com a alimentação. Foi feita uma nova avaliação e deliniou-se estratégia para mais uma etapa, com vista a atingir o peso ideal até final do ano.

Seguiram-se umas semanas de treino e regime alimentar com dedicação, já percebendo que o ritmo de perda de peso começava a ser menor do que o inicial , mas em termos de volume a percepção era cada vez mais visível.

O TREINO É PUXADO?

Questionaram-me varias vezes se o treino era puxado e o que faço exactamente no FF. Pois bem, é hora de explicar um pouco: Não toco numa maquina de musculação! Zero. Cardio? Muito. Passadeira, remo, AirBike e uma vez por semana entregue ao PT para um treino de CrossTraining onde o Flávio monta um circuito com vários exercícios, que se repetem varias vezes e que em 20, 30 minutos, literalmente “rebentam” com o gordo que a pouco e pouco se vai habituando à exigência. Depois alongamento e massagem pelo PT que nos deixa ir embora a desejar um banho, ceia ligth e cama.

Resumindo, os treinos normais ( 1H-1h30m ) de Cardio são softs e com o habito não custam muito a cumprir, fruto do ambiente no espaço e a forma descontraída que se vai alternando o programa e um dedo de conversa ou incentivo dos presentes. Os treinos personalizados sim, têm exigência (e compreende-se),levam-nos ao limite mas com resultados, pelo que o ditado “no pain,no gain” se encaixa na perfeição do relatado.

1º REVÉS

Com muita pena nossa o Flávio (PT) sai do Fitness Factory por motivos profissionais. Aproveito esta parte da crónica para lhe agradecer o empenho e dedicação ao proposto. Confesso que nunca tinha tido a “sorte” de ter um acompanhamento personalizado, mas o Flávio superou o que esperava de alguém com a sua função. Revelou ser muito mais que um PT que explica, ajuda e motiva. Tornou-se um amigo, interessado e focado (confesso que muitas vezes mais do que eu próprio) no objectivo de transformar este homem obeso numa máquina…isso…”máquina” como tantas vezes me chamou. A vida continua e fico feliz que o “BALLIS” como carinhosamente o tratam, prossiga a sua carreira profissional mantendo esta postura fantástica de quem simplesmente espelha de forma tão natural que ama o que faz.

Ballis, obrigado por tudo!

NOVO PT

Com a reorganização no FF e consequente admissão de mais staff técnico, sou rapidamente abordado pelo staff administrativo e gerência para escolher novo orientador de treino. Sendo que o treino de “Cardio” normal ia tendo efeitos na pesagem, pedi para que primeiro organizassem os treinos de PT dos restantes membros do ginásio e no final fosse em conjunto determinado o PT para continuar este desafio.

Verdade é que essa organização foi célere e em conjunto ficou determinado que o responsável pela continuidade do trabalho do Flávio seria… ( conto na próxima crónica combinado?)

2º REVÉS

Com a aproximação do evento ARRUDA MOTORCYCLE MARKET na qual fizemos parte da organização, obrigou-me a ter de dedicar nas ultimas semanas e  deixar inicialmente as 2 vezes semanais que ia conseguindo cumprir, ir apenas 1 vez e nas 2 ultimas semanas ser completamente impossível frequentar o mesmo e cumprir com o proposto.

Com isto tudo, além de ainda não ter sentido a “dureza” do novo PT, vi-me obrigado a fazer uma pausa total no desafio por força do evento, que diga-se correu às mil maravilhas.

HORA DE VOLTAR

Confesso que não vejo a hora de voltar à rotina de treino, porque apesar de continuar a perder peso, de forma mais pausada fruto do regime e foco na alimentação, a falta de treino é sem sombra de duvida uma das causas para o ritmo do desafio ter abrandado.

Sem treino em complemento da alimentação, não há resultados e isso ficou bem espelhado no que vos contei anteriormente. Ter a possibilidade de ter acompanhamento nutricional, um ginásio equipado, bom ambiente, staff prestável e com um PT que se dedique em pleno ao teu objectivo não há como não chegar lá….e com isto (tudo!) já lá vão uns quilos.

Já sei…mas afinal com estas “contrariedades” e oscilações quantos quilos já foram e quanto falta para o objectivo? São respostas que vos vão ser dadas na próxima crónica.

Até breve

O Gordo.

Written by Bruno Félix
.