Chegada a época das férias de Verão, se bem que a chegada do Verão propriamente dita, tem sido complicada de identificar, chega também aquela fuga durante uns dias para “no fare niente”, preferencialmente junto ao mar. O destino da fuga é mais uma vez o sul de Portugal, mais propriamente a vila de Armação de Pêra.

Como desta vez acertámos em cheio no mês de Agosto, a afluência ao Algarve por esta altura é mais que muita e rapidamente percebemos que a praia desta vila não seria opção. Dos chapéus de sol colocados algures de madrugada a reservar lugar, ao reduzido areal que, ano após ano, tem vindo a ser consumido pelo mar, aliado ao excesso de toldos que não só rapidamente se esgotam, como ocupam substancialmente mais espaço e albergam menos pessoas que o tradicional chapéu de sol. Facilmente percebemos que confusão e lata de sardinha não era a nossa cena e fizemo-nos à estrada à procura de alternativa.
E a alternativa estava logo ali ao lado!! Não mais que 1 quilómetro ao lado pelo areal, cerca de 5 quilómetros pela estrada e estávamos na Praia Grande de Pêra! Não esperávamos encontrar praias desertas em pleno Agosto no Algarve mas foi quase o cenário com que nos deparámos…uma praia com um generoso areal e praticamente vazia!! Realmente o ser humano é estranho…aglomeram-se em confusão e espaços apertados para as suas férias e momentos de descanso, quando a escassos quilómetros dali há toda uma (quase) praia deserta!!

E foi aqui que conhecemos um espaço que poderia ser mais um bar de praia mas que se revelou um local cheio de história e estórias – o Carlos Beach Bar, um bar de praia que existe há mais de 40 anos, desde sempre dirigido pelo sr. Carlos e sua esposa!

Sentado à mesa, acompanhados do café matinal e enquanto se aguarda a chegada dos funcionários, o sr. Carlos conta-nos um pouco da sua história e do seu bar. Um homem cuja vida profissional sempre esteve ligada à hotelaria, um pouco por toda a Europa e em diferentes momentos da sua vida, teve a seu cargo diversos negócios antes deste.
Nascido em Armação de Pêra e portanto filho da terra, foi nesta localidade que criou várias casas, muitas delas ainda hoje abertas, apesar de já não estarem sobre a sua gestão ou posse. Conta-nos que o seu primeiro negócio foi o “Crazy Chicken”, casa que venderia para ir cumprir o serviço militar nas colónias. Mais tarde e ao longo da sua vida, abriu a primeira casa de frangos de Armação, o “Rei dos Frangos”, seguiria-se o restaurante “Pipa” e também uma das primeiras discotecas da vila, que hoje está convertida em bar de strip, o “Bar Cristal” – “Quando a vendi, era uma discoteca normal!!”, confessa-nos ao falar desta última casa.
Por estes tempos, já o Carlos Beach Bar havia sido criado, ainda que fosse apenas o seu part-time, enquanto se focava a tempo inteiro nas casas que fora criando e explorando.
Hoje, marido e mulher dedicam-se a tempo inteiro a este bar de praia, estabelecimento que vai na sua terceira versão, ou como nos explica “Este é o terceiro bar que aqui construo, está ali o primeiro e daquele lado o segundo!”, apontando para as fotos nas paredes do bar que o comprovam, paredes estas repletas de fotografias que revelam a quem frequenta o espaço, alguma da sua história…o espaço em si nas suas três versões, os momentos que ali se viveram, mas acima de tudo, as pessoas que por ali passaram e são a alma deste lugar e é deles que ouvimos algumas das muitas histórias de vida por ali vividas.
Desde as décadas de 70/80, muitas foram as aventuras como nos conta, desde a altura em que se caçava por aquelas zonas, quando se podia circular pelas dunas de 4×4 e este era mais um hobbie do sr. Carlos, também um apaixonado do automobilismo e da velocidade, e dos tempos em Armação era uma pequena aldeia com cerca de 200 famílias.

Entretanto já tinham chegado os empregados e começam a chegar mais clientes e sobre o futuro, o sr. Carlos transmite-nos alguma incerteza…a energia de outros tempos para este ramo desvanece-se com os anos e o futuro do Carlos Beach Bar é uma incógnita…é uma casa com mais de 40 anos, uma família e muita história mas não descarta a possibilidade de o vir a vender num futuro próximo!

Despedimo-nos por algumas horas… Voltaríamos para o nosso último almoço destas férias antes de rumarmos a casa. Perto do mar, só poderíamos terminar com um bom peixe, que mais uma vez tem a mão do proprietário que diariamente se dirige aos mercados, lotas e demais contactos da pesca para trazer o melhor que o mar nos pode dar!!

Finalmente é hora de dizer adeus, mas não sem antes irmos à “abaladiça” junto ao grelhador que estará durante toda a tarde ao serviço! Despedimo-nos do sr. Carlos e da sua simpática esposa, certos de que muitas histórias ficaram por contar e ali estaríamos certamente vários dias para conseguir ouvir todas. Conhecemos um espaço familiar, acolhedor, com boa comida e bebida, boas pessoas e acima de tudo, cheio daquilo que procurávamos para as férias, tranquilidade! Este foi o nosso “spot” de eleição para estes dias de recarregamento de baterias!!

Esperemos poder reencontrar este simpático casal noutras oportunidades, cientes que este poderá ter sido o último ano de ambos ao leme deste projecto de uma vida que é o Carlos Beach Bar!

Quanto a nós, regressaremos assim que a oportunidade surgir, na esperança de revermos o espaço, mas principalmente estas duas pessoas que tão bem nos receberam durante estes dias!

Podemos ir a sítios fantásticos, ver coisas extraordinárias, ter experiências únicas…mas no final o que nos marca, nos liga e nos cria a saudade que nos permite regressar é sempre o mesmo…as pessoas!!

Bem haja ao Carlos Beach Bar!!

Written by Benjamim Pitacho
.