Desta vez o convite para mais uma experiência em duas rodas veio de Santarém, mais propriamente da BlueMotor, o novo concessionário da região que nos facultou a mais recente XTZ da marca de Iwata, a nova Téneré 700.

A Herança

Depois do sucesso da DT-1 nos anos 60 a marca nipónica lançou 2 modelos; a TT 500 de Enduro em 1975 e a XT 500 em 1976 vocacionadas para os mercados americanos e europeus, respectivamente, indo então ao encontro às tendências da altura. Verdade é que a XT se tornou um verdadeiro caso de sucesso não só na utilização off-road, mas também como a companheira ideal para longas viagens, sendo considerada por muitas a primeira das Adventure bikes.

Tivemos o prazer de conhecer in loco alguns dos modelos icónicos que compõem esta bonita história motociclistíca e ouvir do seu dono (deveras entendido na matéria!) Octavio Sousa, que para além de nos abrir portas e nos contar muito sobre estas ( e outras) motos, nos deliciou com pequenos excertos de pura historia que colecciona. Para fechar em beleza ainda nos brindou em companhia para um pequeno ride entre o passado e o presente, em que conseguimos comparar os dois modelos, neste caso, um de 1993 e outro de 2019 e que, podemos afirmar que a essência do modelo antigo passou para o novo, de forma melhorada.

Historial de Competição

Muito por culpa de um funcionário de um concessionário da Yamaha França( viria mais tarde a ser Presidente!) que a XT ganhou estatuto e venceu as primeiras provas nas colónias francesas em Africa. Jean Claude Olivier funcionário da SONAUTO foi o “culpado” e impulsionador do desenvolvimento das posteriores versões da XT, tornando-a num verdadeiro sucesso de vendas em toda a Europa e especialmente em França.

Foi por terras gaulesas também que nascia o Oasis Rally ( viria a ser o Paris Dakar) e onde a XT500 se tornou a favorita para muitos dos que se aventuraram nas primeiras edições desta mítica prova.

Para além de Olivier, outros nomes ficaram para a historia como Cyril Neveu, Gilles Comte, Franco Picco e claro Edi Orioli e Stéphane Peterhansel que fecharam o domínio antes do aparecimento da KTM.

A “nova” Ténéré

Bicilíndrica de 689cc, ergonomia optimizada, o look “rally” com faróis led e painel de leitura fácil que nos remetem logo para um “cockpit” inspirado nos pilotos de rally-raid, forquilha invertida e suspensão traseira regulável em andamento são apenas alguns dos argumentos desta máquina nipónica.

Falemos de sensações, deixando por agora a ficha técnica de parte. Ao nos sentarmos nela, ajustando a nossa posição de condução, finalmente começamos a sentir a vibração que nos pede automaticamente para arrancar e desfrutar de todas as características que enumeramos (e mais algumas!!!), destacando desde logo a possibilidade de configurar/desligar as “ajudas” e modo de condução mediante a utilização pretendida, passando desta forma o controlo total para o “piloto”. Depois de uns bons km’s de estrada e de trilhos, é sair de cima da Ténéré 700 e simplesmente esboçar um sorriso instantâneo e deixar aquela pergunta no ar: “Quando é que voltamos a sentar-nos e rolamos daqui para fora?”

ON VS OFF ROAD

O que pode parecer um verdadeiro dilema, torna-se uma enorme virtude. A Ténéré 700 porta-se de tal forma bem dentro e fora de estrada que acaba por ser o maior argumento ( esse e o preço!) para quem sonha adquirir a moto que vá ao encontro dos seus desejos. Rodas 21/18 com jantes de raios de baixo peso e pneus mistos Pirelli Scorpion Rally, correspondem em total segurança tanto em alcatrão ( se bem que andamos em dias de calor!) e em trilho ( em modo offroad). Sem dúvida que é um brinquedo fantástico que alia a maneabilidade e agilidade ao binário necessário para sair de situações de maior aperto, transmitindo sempre com o devorar mais quilómetros a segurança para nos testar um pouco mais os nossos limites, embora tenhamos achado que por vezes, o travão traseiro não seja tão vigoroso quanto deveria ser. De ressalvar também é o seu baixo consumo: um factor favorável numa possível escolha, em que a autonomia é de cerca de 350 km com um depósito.

Em Suma…

Qualidade de construção, look revisto ( honestamente a versão anterior de 2008 a 2015 não fica na retina) cheio de ADN Rally, conforto e um preço sugestivo, tornam esta moto uma verdadeira candidata ao espaço de qualquer garagem. Deixamos a sugestão de a conhecerem in loco na BlueMotor e tirarem as vossas próprias conclusões.

E o vídeo, viram? Não? Então vejam AQUI !!!

Deixamos desde já o nosso agradecimento à BlueMotor e Yamaha Motor Portugal pela disponibilidade, ao enorme Octávio Sousa pela partilha da sua paixão e aos nossos já habituais parceiros nestas aventuras, Shark, RSW e Cool Garage.

Venha a próxima !!!

Cumprimentos,

The B Blog Team

Written by the B blog
.