Fomos recentemente desafiados pela Adega Mor a fazer-lhes uma nova visita e como objectivo, provar os mais recentes vinhos que constam na lista desta adega.

Como não poderia deixar de ser, pelo fato de sermos simpatizantes deste nectar (nao lhe chamemos de todo amantes ou experts, que não o somos) bem como pela ligação que temos com a Adega Mor, afinal foi neste local e com esta marca que iniciámos este projecto (o primeiro editorial do B blog), não poderíamos rejeitar tal desafio e com muito gosto fomos até à sua sede em Sobral de Monte Agraço.

À parte da nostalgia do espaço fomos recebidos pela Inês Ferreira (Marketing e Comunicaçao)  e Catarina Granadas (Departamento de  Qualidade)  que nos deram a conhecer mais sobre a especificidade e historia por detrás de cada um néctares que produzem e distribuem para todo o mundo.

Sempre muito bem recebidos, à nossa espera estava a sala da provas com os candidatos já perfilados, dos rosés aos tintos, passando obviamente pelos frescos brancos! Como referido anteriormente, não somos experts em matéria enológica e com todo o avontade com que nos colocaram, a prova foi (e bem!) orientada no sentido de aprendermos o que é uma prova de vinhos, o que observar e analisar em cada vinho e que caracteristicas devemos ficar atentos, observar, cheirar ou saborear. Portanto, uma prova para leigos na matéria mas que no entanto tem tanto ou mais de construtivo e didático quanto uma prova para entendidos, com o seu respectivo público alvo e explicações dadas adequadas a esse mesmo público (nós!). Neste sentido o nosso agradecimento à Catarina Granadas pelo empenho e paciencia connosco na forma como nos deu a conhecer os vinhos.

Sem mais conversas, passemos aos personagens principais deste evento, os vinhos! A ordem definida para a prova começou com o rosé, depois os brancos e finalmente os tintos.

Assim, o primeiro a prova foi um dos já nossos conhecidos, pois foi o vinho que recebeu os convidados para o nosso jantar de aniversário, o Cabra Figa Rosé, o único rosé desta prova.

Entrando depois nos brancos, começámos pelo ‘irmão’ do anterior, o Cabra Figa, desta vez branco.

Seguindo-se o Passadiço e terminando a sequência dos brancos com o Cachené!

Finalmente, entrando na prova dos tintos, um nome que se repete pela segunda vez, pois começámos pelo Cabra Figa, desta vez o tinto!

Seguindo-se o Passadiço, também um nome repetido mas na sua versão tinto.

Depois um vinho cujo nome nos remete para um outro grande símbolo nacional, o Calçada Velha.

Como não poderia deixar de ser, a prova passou também pelo Rua da Betesga, o único reserva até ao momento da Adega Mor.

E finalmente, o Cachené tinto para terminar em beleza esta nossa prova!

GIVEAWAY

Não acreditam? Vamos deixar ao vosso julgamento! Temos uma caixa fantastica com 3 vinhos da ADEGA MOR para sortear e para tomarem a vossa propria opiniao.

Quem quer este belo presente, fique atento ao nosso Instagram 😉

VEREDICTO FINAL

Após esta prova, da qual maior parte dos vinhos nos eram novidade, temos a registar que a Adega Mor segue sem dúvida no caminho certo e prova disso são os vários prémios que cada vinho tem vindo a angariar mas que, aparte disso, no final o que conta é a cor, o aroma e o sabor…e esses podemos garantir que estão lá, estão aprovados e recomendam-se!!

Depois de tantas escolhas e para diferentes ocasiões e complementos, decidimos deixar a nossa sugestão para algumas delas:

Sexta a Dois, Sofá e Cinema:  CALÇADA VELHA

Piscina, Petiscos, pede vinhos frescos: CABRA FIGA ROSE

Peixe no Forno: PASSADIÇO BRANCO

Tábua de Carne Maturada: CACHENÉ TINTO

Ter Sempre na Garrafeira: PATA CHOCA

Written by the B blog
.