Passadas parte das restrições motivadas pela pandemia, alívio dos confinamentos e reinício das mais diversas actividades, também nós voltamos à acção! Assim sendo, nada melhor para retomar a rotina de conteúdos do que um teste a mais uma nova moto no mercado, a Triumph Tiger 900 Rally!

Dirão os mais atentos que já por aqui viram artigos da Triumph Tiger e não estão errados! Em 2019, não só testámos a Triumph Tiger 800, a antecessora desta que agora surge, bem como realizámos o Portugal de Lés a Lés com a mesma. E se por um lado estamos a “repetir”, por outro a curiosidade aumenta pelo facto da Triumph ter seguido esta estratégia e lançado e este novo modelo!

Especificações

Seguindo as linhas e estilo da sua antecessora, à primeira vista a Tiger 900 Rally surge com um visual renovado conferindo-lhe um estilo mais agressivo. E essa agressividade não se fica apenas pelo aspecto. Com a utilização do bloco de 888cc de 3 cilindros, aliada a uma nova configuração de ignição (1-3-2), o seu trabalhar faz-nos parecer um motor a 2 tempos, com a vivacidade em que isso se traduz… tornando esta Tiger 900 Rally uma moto muito mais energética e nervosa!

Esta nova configuração (1-3-2) é conseguida graças ao uso da chamada árvore de cames T-Plane Triple que usa uma ordem de disparo irregular para ajudar a encontrar a tração off-road, com um pequeno intervalo entre a sequência 1-3 e intervalos mais longos entre 3-2 e 2-1. Tudo isto faz com que a resposta ao acelerador da Tiger 900 seja imediata, e que o binário seja bastante interessante em baixas rotações! De destacar também, derivado a toda esta configuração é o som de escape. Mesmo que nesta versão não venha de fábrica com um escape melhorado, podemos dizer que a sonoridade é vibrante e entusiasmante! 

Aliado a isto notámos que o radiador duplo frontal, desta vez maravilhosamente colocado na frente do motor, faz com que o comum calor que o condutor apanhava, desta vez conseguisse ser mais bem dissipado, com a ajuda de uma disposição mais frontal e baixa. Perfeito para viagens no proximo verão, não acham?

Modelos

Esta nova Tiger 900 surge numa gama de cinco modelos distintos:

  • TIGER 900 GT
  • TIGER 900 GT Low
  • TIGER 900 GT Pro
  • TIGER 900 Rally ( a unidade testada )
  • TIGER 900 Rally Pro

Essencialmente esta gama de modelos assenta em duas configurações base, a GT e a Rally, sendo que a primeira, a versão GT, está claramente mais orientada a um uso regular em estrada, longas viagens e uso urbano, enquanto a segunda, a versão Rally, está orientada para um uso mais desportivo associado a percursos fora de estrada e de piso acidentado. No nosso caso, esta review incidiu sobre a versão Rally base, que comparativamente à versão Rally Pro, esta última inclui a protecção de cárter em alumínio, barras de protecção do motor, farois de nevoeiro auxiliares, descanso central, quickshift Triumph Shift Assist, banco aquecido e dois modos de condução adicionais, Off-Road Pro e Rider (modo configurável).

A experiência de condução

Neste modo, Off-Road Pro, o ABS e controlo de tracção são totalmente desactivados (contrariamente ao modo Off-Road onde estes controlos funcionam em modo parcial), ficando a cargo do piloto gerir estas componentes numa condução fora de estrada. Atendendo a que estes modos não podem ser trocados em tempo real, o mesmo deve ser definido antes de arrancar para uma etapa de viagem, tendo já uma previsão do tipo de terreno que iremos encontrar e do tipo de condução que queremos efectuar.

Regressados ao asfalto, temos sempre à nossa disposição os outros três modos de condução, os típicos Sport, Road e Rain. Existe ainda o modo Rider personalizável (na versão Rally Pro) que permite ao piloto fazer sua própria mistura de resposta de acelerador, intervenção do controle de tração e sensibilidade do ABS – sem mudanças de suspensão, obviamente. A Triumph facilita a configuração do modo Rider, usando nomes em vez de números para diferenciar as configurações. O ABS pode estar na configuração Road ou Off-Road, enquanto o controle de tração tem uma matriz denominada redundantemente – Sport, Road, Rain, Off-Road e off. Uma moto, um vasto leque de opções de configuração e comportamentos!

Aliado a tudo isto, temos a suspensão Showa, que dada a versatilidade, é sem dúvida uma mais valia tanto para levar  a Tiger 900 para uma longa viagem numa estrada cheia de curvas, fazendo da fórmula travagem frontal de duplo disco Brembo Stylema 320mm + pneus Pirelli Scorpion,  simplesmente perfeita. No entanto, também não nos podemos esquecer de levar esta Tiger para uma aventura offroad, sem ter receios de maior.  

Ecrã TFT

O novo ecrã a cores TFT de sete polegadas é claramente nítido e fácil de ler ainda que, para quem não está habituado ao software da Triumph, se possa perder no início. Embora os vários menus possam ser navegados com um joystick de cinco direções e fácil de usar, localizado no punho esquerdo, há muitos niveis de menus. Uma vez familiarizado com os menus, há quatro opções de configuração de exibição, incluindo a escolha de cor, intensidade da iluminação, além de uma infinidade de dados, de consumo de combustível, quilometragem registada, temperatura do motor, etc. É possível navegar pela maioria dos menus e fazer seleções rapidamente. O posicionamento do joystick, mantendo a tendência dos modelos anteriores, é um pouco próximo ao interruptor do pisca, portanto, a distinção entre os dois requer hábito, mas só durante os primeiros 20km de viagem! 

Conectividade

O sistema de conectividade integrado da Triumph oferece uma série de funcionalidades. Ao ligar o smartphone via Bluetooth ao My Triumph Connectivity System, é possível ter acesso via Bluetooth à navegação, controlo de uma camera GoPro, música e chamadas telefónicas.

O smartphone pode ser ligado a uma porta de alimentação USB sob o banco do passageiro. Manter o telefone distante, dentro do pequeno compartimento forrado de espuma não é tipicamente conveniente face a termos o mesmo junto do painel de instrumentos, no entanto não precisamos do telefone durante a condução e podemos sempre aceder a determinadas aplicações via conexão Bluetooth usando o ecrã TFT. Há também uma porta de carregamento de 12 volts junto à fechadura do assento.

De realçar ainda nesta Tiger 900 Rally temos o cruise-control ( ideal para aquelas viagens longas ou também para uma condução mais descontraída ), o depósito de combustivel de 20L, que embora o tenhamos enchido para o fim-de-semana, a emoção da condução fez com que não pensássemos muito na autonomia, mas mais na adrenalina de condução, sendo que percorremos cerca de 270 km. Por fim, a embraiagem assistida, que torna ( nesta versão sem o quickshift ) a experiência de condução ainda mais simples e sem esforço de maior para o condutor, seja no comum trânsito citadino, seja numa sinuosa estrada de montanha, ou numa incursão off-road.

A Triumph Tiger 900 Rally em imagens

Para finalizar e antes de apresentarmos a nossa conclusão, a habitual galeria de imagens desta nova Triumph para que possam ter uma melhor perspectiva da mesma e se for caso, agendar um test-drive na Triumph! 😉

Para esta review, contámos também com o apoio dos nossos parceiros em equipamento, a RSW (casaco N222 verde+ conjunto casaco e calças), a Cool Garage (capacetes Trail e luvas) e Bearing (botas touring).

Conclusão

A Triumph Tiger 900 é mais do que uma digna sucessora da Tiger 800 – é absolutamente inspiradora e leva-nos a querer fazer quilómetros atrás de quilómetros, independentemente do tipo de terreno que temos pela frente! A Tiger 800 foi um modelo popular e muito bem-sucedido para a Triumph, mas depois de 10 anos e da crescente concorrência neste segmento de suas marcas “rivais” austríacas e alemãs, estava mais que na hora de um upgrade. Do revisto motor, suspensão Showa Premium, travões Brembo, ergonomia direccionada e electrónica focada na segurança, ao novo chassis mais agressivo, painel TFT maior repleto de opções e de dimensões mais fina e mais leve, a Triumph Tiger 900 mostra que está neste segmento para dar cartas! Experimentem-na e digam de vossa justiça! 

The B Blog Team

Written by the B blog
.