Crónicas de um Gordo no Gym – #11 A última!

WS2A6254 copy

Em junho de 2018 começava o desafio com o Fitness Factory (FF) de Arruda dos Vinhos em transformar um homem com 38 anos e mais de 120 kgs.

Passados praticamente 4 anos, com 2 anos de pandemia pelo meio (e acreditem que não foi fácil nessa fase) foi possível chegar aos 94 Kgs e com o aumento da carga e consequentemente massa muscular “fixar-me” nos 99/101 Kgs na qual me sinto confortável. Tendo perfeita noção que nunca seria magro, estabeleci desde o principio que desde que estivesse confortável dentro de um fato 54 (cheguei a vestir 58) estaria bem comigo mesmo, e esse objectivo foi cumprido.

Sem pressas

Muitas pessoas me questionaram, quanto tempo demorei? Pois bem, outro objectivo que ficou logo estabelecido foi que não seria um desafio “extreme” em poucos meses, não só por falta de disponibilidade, mas porque muitas vezes os resultados rápidos levam posteriormente a um retrocesso e isso não seria de todo o  objectivo, fazer tudo com calma, pequenas vitórias e acima de tudo ir lendo o corpo para que a transição de um tipo sedentário para um activo fosse feita da forma correcta e que levasse a criar uma necessidade de rotina de exercício de forma quase espontânea.

Os “culpados”

Durante este processo tive a felicidade de ser acompanhado por perto por vários profissionais do FF, na qual destaco o Flávio Batista e o João Vitorino que em diferentes etapas foram os grande “obreiros” deste desafio com a sua disponibilidade, incentivo e acima de tudo profissionalismo. A todo o restante staff e ao Luís Coelho por ter acreditado nesta loucura, o meu muito obrigado.

Tenho de destacar também a parceira de muitos domingos matinais no que chamamos da “nossa missa”, a fantástica e resiliente Carla Sousa, companheira de vida nos desafios e este não podia deixar de o ser…obrigado pelo teu apoio e presença.

E agora?

Agora é continuar! Se há coisa que aprendi é que o treino e a actividade física para além do cuidado com a alimentação é para a vida!  O “gordo” vai continuar a se desafiar, a frequentar o espaço e a conviver com as pessoas que fizeram acreditar que o FF é como uma segunda casa e quando vamos para lá sem lamentos e com vontade, é meio caminho andado para conseguirmos os nossos objectivos.

Deixo uma ultima dica: descubram o que gostam, seja correr, levantar pesos, CrossFit, Zumba, Cycling, o importante é achar um espaço onde se sintam bem, sejam apoiados e incentivados, onde se sintam em casa e partilhem e festejem as pequenas vitórias de tod@s.

Eu achei o meu, o Fitness Factory de Arruda dos Vinhos, vemo-nos por lá?

Leave a comment